Varicocele

Podemos definir, de forma bem geral, varicocele como sendo “varizes do testículo”. Para entender o que acontece na varicocele, é necessário saber que no interior das veias existem válvulas cujo trabalho é impedir que o sangue que deve retornar ao coração (sangue drenado) vá no sentido errado (reflua). Outro conceito importante é de que na base de uma coluna de líquido, a pressão feita por esse líquido é muito grande. Para melhor entender, é só pensar que quando a pessoa mergulha, quanto mais fundo ela vai, maior é a pressão nos seus ouvidos.

Quando um indivíduo está de pé, a pressão exercida nas veias das pernas e nas veias dos testículos (a parte inferior do corpo) é muito grande. Pode-se pensar, então, que todos deveriam ter varizes, ou mesmo varicocele. Mas, como já foi dito antes, as veias possuem válvulas, impedindo assim que o sangue “desça”. Muitas pessoas não possuem essas válvulas nas veias dos testículos, ou, se as tem, elas são muito fracas, permitindo que o sangue volte para o escroto, aumentando a pressão nessas veias. Com isso, o sangue acaba ficando “parado” nas veias, fazendo elas incharem e gerando a varicocele.

A varicocele pode ocorrer em qualquer dos testículos, ou mesmo em ambos. Mas é mais comum acontecer no lado esquerdo. Isto porque a veia espermática do lado esquerdo desemboca na veia renal esquerda em um ângulo de 90° , ou seja, reto, fazendo com que a pressão nesse lado seja mais alta que no lado direito, lado este em que a veia espermática desemboca obliquamente. Uma varicocele somente do lado direito pode sugerir que algo está comprimindo a veia cava, como uma trombose (um coágulo de sangue no vaso) ou um tumor (pode ser um câncer).

A varicocele em geral é indolor, mas dependendo de seu volume, pode causar dor. Hoje, a varicocele é reconhecida como causa de infertilidade masculina (os homens não conseguirem engravidar suas mulheres), sendo responsável por quase 40% desses casos. Na população adulta, ocorre em 15% dos homens, sendo assintomática.

O diagnóstico da varicocele pode ser feito pelo exame físico através de manobras que aumentem a pressão abdominal (como tossir, força de defecação) fazendo com que as veias inchem e o médico possa palpar essas veias. Para confirmar o diagnóstico, deve ser realizado um exame chamado Eco Doppler, no qual é possível verificar se realmente há refluxo de sangue, além de conseguir medir a intensidade desse refluxo.

O tratamento da varicocele é cirúrgico. Na cirurgia “fecham-se” as veias do plexo venoso testicular, curando a varicocele. No entanto, esta cirurgia pode ter como complicação em 15% dos casos a chamada Hidrocele, doença em que se acumula água no escroto. Dependendo do tamanho, será tratada por esclerose ou cirurgia.

A cirurgia deve ser feita em alguns casos, como os descritos a seguir:

  • Varicoceles em pré-adolescentes: não é possível avaliar o dano da doença na fertilidade;
  • Atrofia testicular homolateral: degeneração do testículo só do lado afetado;
  • Alterações constantes nos espermatozóides: células masculinas responsáveis por engravidar.

É importante lembrar que no caso de homens inférteis operados, a fertilidade é obtida em 30% dos pacientes, conseguindo-se um índice de gestação entre 30-40% com taxas de nascimento ao redor de 20%.

Para mais informações sobre esse tratamento,
entre em contato com o Dr Fernando Almeida