BLOG


Importância das Disfunções Miccionais na Urologia.


0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×

Dr Fernando Almeida - Blog - O que faz um Urologista

Urologia é a especialidade médica que estuda o trato urinário de homens e mulheres, com o objetivo de aliviar o sofrimento humano decorrente de problemas desse sistema. O urologista é o médico que se prepara para atuar no tratamento de doenças que envolvam órgãos comuns aos homens e mulheres (rins, ureteres, bexiga e uretra) e órgãos exclusivos aos homens (próstata, órgãos genitais e reprodutivos masculinos). Os problemas urológicos podem ser divididos em benignos e malignos (câncer) acometendo os órgãos citados anteriormente.

Dentre os problemas urológicos benignos, os mais relevantes devido a alta prevalência e impacto sobre o paciente incluem; Hiperplasia Benigna da Próstata, Bexiga Hiperativa, Incontinência urinária e infecções urinarias.

Muitos desses problemas são causa ou consequência de Disfunções miccionais. As disfunções miccionais referem-se a vários problemas relacionados ao funcionamento do trato urinário inferior (bexiga, uretra, próstata, músculos e nervos do assoalho pélvico). As disfunções miccionais se manifestam como dificuldade/impossibilidade de urinar ou por dificuldade de conter a urina – incontinência urinária.
Uma das principais causas que leva a dificuldade de esvaziamento vesical é o aumento da próstata, decorrente da Hiperplasia Benigna da Próstata (HBP). A HBP apresenta uma prevalência que aumenta com a idade, sendo que nenhum homem apresenta evidência de HPB até os 30 anos de idade, porém aos 80 anos de idade, 88% dos homens apresentam esse problema.

Quando a próstata aumenta ela comprime o canal da urina levando ao surgimento de sintomas de dificuldade de esvaziamento da bexiga. Esses sintomas também apresentam uma prevalência que aumenta progressivamente com a idade. Um estudo com mais de 7500 homens demonstrou que a prevalência desses sintomas foi de 18%, 29%, 40% e 56% em homens nas faixas etárias de 40, 50, 60 e 70 anos. Uma das formas de tratamento da obstrução da uretra é a cirurgia da próstata. Esse procedimento pode acarretar outro tipo de disfunção miccional, a incontinência urinária masculina, que é mais prevalente quando realiza-se cirurgia para tratamento do câncer de próstata.

A incontinência urinária é uma disfunção miccional mais comum em mulheres, mas pode acometer indivíduos de todas as idades, de ambos os sexos e de todos os níveis sociais e econômicos. Um estudo na população Norte Americana estimou que 12 milhões de pessoas sofrem de IU naquele país. Estima-se que 200 milhões de pessoas vivam com IU em todo o mundo e que entre 15% e 30% das pessoas acima de 60 anos, que vivem em ambiente domiciliar, apresentam algum grau de incontinência.
Uma das causas da IU é a Bexiga Hiperativa (BH). Essa disfunção miccional leva a um grande prejuízo na qualidade de vida e grande repercussão econômica. A prevalência de BH aumenta com a idade. Em indivíduos entre 40 e 44 anos de idade, a prevalência de BH é estimada em 3 % para homens e 9 % para mulheres. Em pessoas com idade igual ou superior a 75 anos, a prevalência aumenta para 42 % nos homens e para 31 % nas mulheres.

A outra causa de IU, especialmente presente em mulheres é a incontinência decorrente de uma insuficiência do musculo que causa o fechamento da uretra e de disfunções do assoalho pélvico – levando a IU por esforço. Estudos mostram uma prevalência de incontinência urinária de até 30% em mulheres entre 30 e 60 anos de idade, sendo que metade dos casos são atribuídos a incontinência urinária de esforço.

Como demonstrado acima, as disfunções miccionais, incluindo aquelas decorrentes do aumento da próstata, são altamente prevalentes e essa prevalência aumenta com a idade. Estimativas sobre a perspectiva de vida da população mundial permitem uma previsão de aumento das disfunções miccionais e da necessidade de tratamentos e intervenções para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Nos Estados Unidos da América (EUA), estima-se que o número de mulheres com idade entre 45-69 anos irá aumentar em 31% até o ano de 2020. Além disso, em 2050 o número de mulheres com idade de 65 anos ou mais será o dobro que no ano de 2000. O custo anual com o tratamento da incontinência urinária naquele país foi estimando em aproximadamente 26 bilhões de dólares, o que equivale a mais de mil dólares por paciente por ano. Ressaltando que a maior parte dos gastos é realizada com medidas de controle, como uso de absorventes e medicamentos, e não especificamente com um tratamento definitivo.

No idoso as disfunções miccionais representam um grande desafio clínico, pois esses paciente apresentam limitações de locomoção, de metabolismo de medicamentos e maiores riscos de efeitos colaterais com tratamentos. Desta forma, o urologista deve estar preparado para atuar nos idosos com disfunções miccionais após uma avaliação geriátrica ampla.

Com efeito comparativo podemos ter uma real dimensão da importância das disfunções miccionais dentro da urologia. Por exemplo, a prevalência de litíase urinária é de aproximadamente de 10-15%. A chance de um homem desenvolver Câncer de próstata ao longo da vida é de 17-20%. Se as disfunções miccionais são altamente prevalentes, por que não recebem atenção adequada? A reposta está associada ao fato de ser uma doença benigna e de surgimento lento e progressivo, fazendo com que a pessoa que sofra se adapte a situação, sem perceber o quanto os sintomas estão atrapalhando sua vida. Na prática, quando tratamos os problemas descritos acima, aliviando os sintomas de forma abrupta, os pacientes ficam surpresos com o alivio que receberam e se questionam, porque sofreram por tanto tempo e postergaram o tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 Filament.io 0 Flares ×